Artesãos mineiros vêm ultrapassando os limites do estado e conquistando cada vez mais o seu espaço. Artesanatos oriundos de Minas foram expostos no 10º Salão do Artesanato, em Brasília, e superaram a marca de R$ 100 mil em vendas diretas e encomendas, além de novos contatos, clientes e parcerias.

A presença dos mineiros no evento, entre os dias 04 a 08 de abril, teve o apoio do Governo de Minas Gerais através da Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), em parceria com a Secretaria Especial da Micro e Pequena empresa através do Programa do Artesanato Brasileiro, do Governo Federal.

Para participar dos quatro dias de evento, os mineiros passaram por um edital que selecionou três associações, um núcleo produtivo e quatro artesãos individuais que ocuparam um stand de 50m² (cinquenta metros quadrados). Neste espaço foram vendidas 1065 peças de artesãos das cidades de Belo Horizonte, Betim, Ouro Preto, Turmalina e Divinópolis.

Minas Gerais foi um dos poucos estados que teve a presença de profissional no Salão dos Mestres, espaço destinado ao contato do público com o artesão no momento em que executa as suas técnicas e habilidades no ofício. Neste caso, estava presente o artesão Alex Teles, terceira geração da família GTO (Geraldo Teles de Oliveira), conhecida por entalhar madeira em mandalas e rodas vivas.

Além dos artesãos contemplados, o Governo de Minas Gerais esteve presente no evento através do coordenador do núcleo de Artesanato da Seedif, Thiago Tomaz, que ofereceu suporte aos artesãos mineiros, que não expunham nacionalmente desde dezembro de 2017, durante a feira Nacional, realizada anualmente na capital mineira.

“O Salão do Artesanato é a primeira feira nacional do ano, então os artesãos chegam com a necessidade de comercializar os seus trabalhos. Estamos proporcionando este momento tão esperado por que o artesanato mineiro, além de bem aceito e prestigiado em Brasília e região, é também fonte de renda para muitas famílias e contribui para impulsionar a economia local”, finaliza.

Tecendo o desenvolvimento do artesanato

Recentemente o Governo de Minas Gerais lançou o Plano Quadrienal de Desenvolvimento do Artesanato Mineiro 2018-2021, a primeira política pública voltada para este setor tradicional no estado e tem como objetivo principal impulsionar o crescimento do artesanato nos mercados interno e externo, além de ser um divulgador da arte popular.

Através da Seedif, o Governo do Estado intensificou no último ano o cadastro de artesãos através de mutirões em todos os territórios regionais. A entrega da Carteira Nacional do Artesão teve uma crescente de 75% em relação aos anos anteriores. O documento possibilita ao trabalhador acesso a capacitações e inscrever-se em editais para participação em feiras e exposições dos Governos de Minas Gerais e Federal.

Por Ascom Seedif